PROBLEMAS DE SAÚDE COMUNS EM CÃES PEQUENOS


Cachorros de raças pequenas são bonitinhos e fofinhos. No entanto, eles também são propensos a certos problemas de saúde. Promova um estilo de vida saudável a seu animal de estimação (seja ele de raça definida ou não) por meio de uma alimentação adequada, visite o veterinário regularmente e fique de olho em algumas das possíveis doenças que podem acometer seu animal. 

1. Luxação de patela

Ocorre quando a patela do cão é deslocada de sua posição anatômica normal no sulco do osso da coxa (fêmur). Embora possa ocorrer em qualquer raça de cão, cães de pequeno porte são mais propensas à doença. Os sintomas irão depender da gravidade e persistência da doença, embora tipicamente o cão irá mancar. Para saber mais sobre esse problema, clique aqui.


2. Hérnia de disco

É um disco que saiu de seu lugar, e isso ocorre por diversos motivos. Uma hérnia de disco é a posição incorreta do disco, que já não suporta corretamente a coluna vertebral, colocando uma pressão excessiva sobre os ossos e nervos ao longo da coluna. Causa dor? Geralmente, qualquer movimento será doloroso, já que pode empurrar o disco mais para fora de seu lugar e fazer com que ele colapse por completo. Sintomas: o cachorro apresenta relutância em se mover e sente uma dor considerável. Incluem gritos de dor, debilidade nos membros traseiros, incapacidade de caminhar, falta de vontade de subir escadas ou de pular sobre uma cama ou outra superfície, marcha instável e perda do controle da bexiga e do intestino. Tratamento: quando a hérnia for causada por traumatismo, por exemplo, como em atividades muito intensas, alguns medicamentos anti-inflamatórios e repouso podem ser suficientes para tratar o problema. Em animais mais velhos com problemas recorrentes, remédios anti-inflamatórios ou esteroides podem ser utilizados para tratar a doença crônica. Em muitos casos, a cirurgia é a única opção para animais com má-formação congênita ou com trauma mais grave, e é acompanha por uma terapia farmacológica e restrição de atividade.

3. Pancreatite 

A pancreatite se desenvolve quando o pâncreas inflama, o que pode acontecer por inúmeras razões (obesidade, infecção, trauma, distúrbio no metabolismo, etc.) ou aparentemente do nada. Isso pode levar a febre, vômitos, diarreia, desidratação, e de leve a dor abdominal grave. Para saber mais sobre essa doença, clique aqui.

4. Síndrome braquicefálica 

Cães (e gatos) braquicéfalos são aqueles que possuem uma cabeça redonda com um focinho curto / encurtado / achatado, deformidades do esqueleto que causam uma série de problemas de saúde.
Todos os cães com focinho curto (em maior ou menor grau) têm problemas para respirar. Eles passam a vida resfolegando, bufando e fungando graças a sua dificuldade para respirar, que torna-se pior quando estão excitados.
Beber e comer pode causar problemas porque quando cães/gatos de focinhos achatados colocam seus rostos nas tigelas e tentam coordenar engolir com respirar, partículas de comida e água podem ser sugadas pelo focinho, sendo levadas para a traqueia, onde causam engasgos, tosses ou vômitos.
Respirar pela boca significa aspirar ar, o que geralmente produz gases em excesso (flatulência).
Cadelas de focinho curto frequentemente não conseguem parir seus filhotes sozinhas porque eles têm cabeças muito largas. Cirurgias de cesárea com anestesia geral são geralmente necessária e os filhotes de focinho curto são excepcionalmente frágeis, apresentando uma taxa de mortalidade maior do que os filhotes de cães com cabeças normais.
Cães e gato de focinho curto têm maior riscos de complicações/morte ao serem anestesidados, necessitando de precauções mais do que especiais ao serem castrados, ao fazerem limpezas de tártaro (que serão frequentes graças às bocas com pouco espaço para os dentes e dietas a base de ração seca e carboidratos em geral, como os presentes nos biscoitos caninos) ou simples exames de raio-x.

O que fazer para ajudar? 
  • Mantenha seu cão ou gato braquicéfalo sempre magro. Peso extra significa respirar mais pesado para dar conta do peso extra!
  • Lave e seque seus rostos após cada refeição ou quando ele tomar água demais.
  • Em tempo úmido ou quente, mantenha cães/gatos braquicéfalos no ar-condicionado tanto quanto possível.
  • Ao sair em um tempo úmido ou quente não deixe que o cão fique muito excitado ou muito ativo. Cães de focinho encurtado têm um grande risco de sofrer infarto porque não conseguem resfolegar a ponto de baixar suas temperaturas corporais.
  • NUNCA deixe um cão ou gato braquicéfalo sozinho dentro de um carro (e nenhum outro).
  • Ensine seu cão de focinho encurtado a não puxar a guia, ou prefira peitorais ou a coleira de cabeça (Gentle Leader) – caso seja possível usá-la. 
  • Mantenha cães e gatos braquicéfalos longe de produtos químicos que possam irritar seus sistemas respiratórios. Ou seja, NADA de fumar perto deles ou de produtos de limpeza muito químicos (prefira os naturais, como sabão de coco líquido). 
  • Mantenha-os longe também de grama recém cortada e o mais longe possível de pólen (principalmente durante a Primavera).
  • Tenha certeza de que seu veterinário use apenas os anestésicos mais modernos e insista em ter seu coração e respiração monitorados por equipamentos especiais enquanto ele estiver anestesiado (prefira a anestesia inalatória). "

Fonte artigo síndrome braquicefálica:  Mãe de Cachorro - para ler na íntegra, clique aqui.


Referências:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...